Geral

Da sugestão de pauta à notícia: como transformar seu release em uma matéria

É possível? Sim! E vou explicar como e o porquê desta importância. Na verdade, o release por natureza já é um tipo de texto produzido com informações, na maioria das vezes, institucionais. Assessores de imprensa vão concordar: é preciso “vender o peixe”.

As assessorias de imprensa, que estão por trás de pequenas, médias e grandes empresas que prezam pelo reconhecimento do público diante da mídia, desenvolvem seu material textual de acordo com as técnicas exigidas; diferentemente de textos produzidos por profissionais que atuam em veículos de imprensa. Isso fez com que o texto do jornalista assessor se distanciasse do texto do jornalista de redação.

A quantidade destes textos produzidos e enviados à imprensa irá aumentar a cada vez que o jornalismo digital alcançar mais público e continuar inovando como modelo de plataforma. Desta forma, se você não for criativo e não se desprender da padronização do modelo de release, seu conteúdo será mais um daqueles direcionados ao lixo eletrônico da lista de mailing. Consequentemente, você poderá perder a chance de emplacar uma boa matéria.

A seguir, vou mostrar que é necessário e possível adaptar seu material de divulgação à imprensa para que ele ganhe atenção do colega jornalista de redação, e que este mesmo possa trabalhar o conteúdo de modo mais fácil e prático. No final, quem ganha é você!


De sugestão de pauta à notícia

Sabemos que o release é por natureza uma sugestão de pauta. Não queremos mudar esta prática, mas sugerimos adaptação deste “modelo de pauta” para uma notícia propriamente dita. Como? É fácil! Faça do seu release uma notícia pronta para divulgação – sem que o jornalista precise desmontar o texto por completo para adaptá-lo ao dele o que, muitas vezes, o profissional pode perder o interesse pelo trabalho que terá. Utilize o formato de pirâmide invertida (o tradicional lead jornalístico) levando as principais informações do conteúdo, ou seja, seu cliente, para os primeiros parágrafos.

Apresente dados, pesquisas, teorias e estudos de especialistas. Tudo. Absolutamente tudo o que você for escrever sobre seu cliente, certamente terá uma relação próxima com algum fato do passado ou presente. Mescle com o seu conteúdo. O leitor quer ver comparações; bater dados. O leitor quer um texto que acrescente em seu repertório. Vale ressaltar que a qualidade da informações é mais importante que a quantidade. 

Agenda Setting – aproxime seu conteúdo

Lembra dela? A teoria da Agenda Setting defende que o público dará mais atenção a assuntos que estão mais expostos à mídia. E, olha: tem muita coisa em comum com o texto do seu cliente. Sabe por quê? Por exemplo, a atual situação econômica e política do Brasil. Alguém tem dúvida de que foi o assunto mais comentado nos últimos meses? Eu não tenho. E olha que este ano o país recebe o maior evento esportivo do planeta: as Olimpíadas. E, ainda assim, a política – impeachment e economia foram os assuntos mais publicados pelos pequenos e grandes veículos. Certo, mas o que isso tem em relação ao release que escrevo sobre meu cliente? Muito! Se o seu conteúdo tiver relação com economia, política e educação, por exemplo, explore mais seu texto trazendo para dentro dele estas informações atuais. Se tem relação com esporte, fitness ou algo do tipo, maravilha! Você pode utilizar os Jogos Olímpicos como assunto atual para discorrer. Isso é uma estratégia de SEO, que falo mais neste post aqui.

Com estas informações de importância e prioridade nacional, seu conteúdo terá os melhores resultados nos mecanismos de pesquisas da internet. Por isso, utilizei a teoria da Agenda Setting para apresentar a necessidade de aproximar seu conteúdo com os assuntos mais relevantes, aceito e discutido pelos consumidores de informação.

Linha editorial dos grandes portais

Conhecer a linha editorial, política e modelo de texto dos veículos que você deseja que seu conteúdo ganhe destaque, é outro ponto fundamental. Geralmente, os grandes veículos possuem seu próprio manual de redação, ou seja, uma cartilha com os modelos de texto e tratamento de pautas que os jornalistas de lá precisam seguir à risca. Repare no formato do texto em relação ao tamanho, quantidade de linhas em cada parágrafo, modelo informativo – qual a prioridade que eles dão para escalar no texto as informações mais ou menos importantes, modelos de datas, citações, espaço e quantidade de entrevistas com as fontes e, não menos importante, título e linha fina, que são elementos principais de qualquer texto; são neles que você convida o leitor a mergulhar em seu conteúdo.

Análise de editoria

Por fim, você agora só precisa selecionar o jornalista que deve receber a sua notícia. Algumas vezes o conteúdo pode ter mais de uma editoria, ou seja, atingir mais de um assunto. Um mesmo conteúdo pode atender editorias de Política e Cidade, por exemplo. O negócio é: tente produzir sua notícia para que atenda diretamente uma editoria específica e correta, para que os jornalistas não recebam conteúdos indesejáveis.

Estes são alguns dos recursos que podem fazer o seu release obter melhores resultados, pois é adequando ao modelo de texto que o jornalista precisaria transformar em seu texto, e facilitando o trabalho dele no entendimento da pauta que o jornalismo exigindo mudanças.

Quer saber quais são os erros mais cometidos na criação de uma notícia? Baixe grátis o ebook “Os 10 erros mais cometidos na criação de um release” e não erre mais!

banner-demo-fimdepost

Mais posts