Marketing

SEO e o poder das palavras-chave

Quando resolvemos fazer uma busca em sites de pesquisa como, por exemplo, o Google, vêm à nossa mente todas as palavras-chave relacionadas ao tema que procuramos. Esta é primeira etapa e, consequentemente, uma das mais importantes nesse processo. Pensando pelo outro lado – aquele que quer ser encontrado -, há uma questão que deve ser considerada: como fazer para que um site ou conteúdo esteja bem colocado no resultado da pesquisa? A resposta está num conjunto de técnicas conhecido como SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismos de Busca).

Os primeiros sistemas de busca surgiram nos Estados Unidos, durante a década de 1990. As páginas eram bem simples, com poucos recursos, mas já cumpriam o trabalho de encontrar sites a partir de palavras-chave. O “Webcrawler”, criado por Brian Pinkerton, foi a primeira ferramenta a listar os 25 sites mais acessados na época, indexando-os. Três anos depois, esse tipo de ação na web ganhou popularidade, resultando no nascimento de grandes buscadores como Yahoo (1994) e Google (1998).

No início de seu desenvolvimento, o sistema apenas apresentava as páginas por ordem alfabética. Contudo, o avanço tecnológico permitiu que fosse aplicado um método de filtragem por relevância. Consequentemente, os websites tiveram que se adequar a tais ferramentas no intuito de ocuparem os primeiros lugares nas consultas feitas por internautas. Em 2014, uma pesquisa feita pela Conversion (empresa especializada em SEO) revelou que 32,2% do tráfego de internet no Brasil é referente à busca orgânica (não paga) do Google e outros sites. É neste instante que o SEO se torna fundamental.

Como funciona

Ao utilizar algoritmos específicos ordenados em fórmulas e cálculos, os buscadores conseguem definir o quão importante são as páginas. O Google, por exemplo, possui um dos algoritimos mais conhecidos, o “Google Page Rank”.

O trabalho do SEO, a priori, será o de trabalhar com as melhores palavras-chave que estejam diretamente ligadas ao conteúdo do site. Após serem definidas, elas passam a integrar os textos e facilitar sua aparição nos sites de pesquisa, elevando tanto o número de acessos quanto a relevância da página.

O Google, por exemplo, analisa mais de 200 fatores para ranquear um site. Durante este processo, é possível identificar dois tipos de trabalho executados pelo profissional de SEO. O primeiro seria o interno que, basicamente, resume-se na melhoria do site a partir de urls claras e objetivas, títulos coerentes, tags pontuais etc.  Em seguida, existe uma atenção voltada para o tratamento externo da página, no qual o foco está voltado para a relação que ela tem com outros portais, blogs e etc – e isso se dá por meio de hiperlinks citando conteúdos ou tendo seu conteúdo citado. Com isso, os algoritmos são capazes de classificar de 0 a 10 – como faz o Google Page Rank – as pages e então projetá-las, de acordo com sua importância, nos melhores lugares das pesquisas. Como recompensa, nada mais do que um elemento indispensável para qualquer empresa: visibilidade.

Se a falta de tempo e/ou dinheiro lhe impediu de aplicar estratégias de SEO em prol de um melhor ranqueamento do seu site nas ferramentas de busca, há como ampliar seu alcance por meio de sites que já possuem um bom posicionamento na internet. O DINO, por exemplo, garante a publicação dos conteúdos produzidos por assessorias de imprensa e profissionais de comunicação em grandes portais de notícia, o que proporciona justamente maior visibilidade.

Visibilidade? Sim!

Quando se fala em visibilidade na internet, há muito mais elementos envolvidos do que simplesmente sistemas de busca. Projetar seu conteúdo em um campo tão vasto é como lançar um foguete no universo. Você sabe onde quer chegar, mas há tanto espaço, tantos caminhos e direções que fica difícil ver e ser visto em meio ao “infinito”. Por exemplo, o DINO surgiu como ferramenta especializada em orientar o tal “foguete. Seu papel é fazer com que os conteúdos sejam divulgados em canais de interesse dos usuários e, consequentemente, encontrados por eles.  Trata-se  de visibilidade como elemento chave para um melhor rendimento das empresas em relação ao conteúdo que enviam a seu público-alvo.

O papel da ferramenta online é distribuir textos (releases) de assessorias de imprensa entre jornalistas e veículos de comunicação que tenham interesse pelo tema abordado. O diferencial está justamente na construção desse release. O DINO oferece elementos de edição que adicionam um “power” a mais no material – como vídeos, imagens e áudios – além de pontuar a importância do uso de palavras-chave na composição do texto e, por fim, garantir que o mesmo atinja seu objetivo: o de ser publicado e lido pelo maior número de pessoas possível.

Ao pensar sobre como construir seu material de modo que ele consiga destaque no ciberespaço é impossível não levar em consideração as técnicas de SEO e também de Marketing de Conteúdo (link do post sobre MktC). São estas estratégias e ferramentas que permitirão à empresa enxergar seu produto para além da venda, tornando-o não só consumível, mas também necessário para a construção de conhecimento dos seus clientes – e futuros clientes. Ser visto é bom, mas ser visto como algo ou alguém relevante é melhor ainda.

Para dar uma ajuda nesse processo de visibilidade, compartilhamos aqui uma lista feita pela Agência Mestre com 50 ferramentas de SEO, desde pagas até gratuitas e um texto do DINO sobre qual a importância de estar entre os primeiros do Google.

Hora de crescer e aparecer!

Quer saber como o DINO pode turbinar sua estratégia de SEO? Baixe grátis o ebook “Dino & SEO” e alcance o topo dos resultados de busca!

Recomendadas


Top