Jornalismo

Redes Sociais para Jornalistas – Como utilizá-las

Parece inconcebível, mas até pouco tempo ainda existiam redações onde o acesso às redes sociais era vetado. Hoje elas são fundamentais para qualquer profissional (a menos que você tenha algum trabalho clandestino…). Graças à sua popularização, existe também menos separação entre a “pessoa física” do jornalista e sua identidade profissional. O resultado do nosso trabalho, por natureza, é público. Nossos perfis também. Eis algumas dicas para jornalistas na hora de usar as redes sociais.

1. Habilite seguidores no seu Facebook

Assessores de imprensa são uns danadinhos. Basta uma troca de e-mails e eles já vão querer adicionar você no Facebook. Você não precisa adicioná-los, mas também pode ajudá-los a acompanhar o seu trabalho, então, não os ignore, afinal, eles podem ser a chave para grandes matérias. Para isso, habilite seguidores no seu perfil. Desta forma, todos os seus posts públicos aparecerão na timeline de quem te segue, como no Twitter.

2. Deixe seu cartão de visitas nas redes

De preferência, deixe aberto ao público algumas informações básicas sobre você, como o jornal em que você trabalha e alguma forma de contato, como seu e-mail ou o telefone da redação. Acredite, o número de trotes ou spam recebidos por este meio é quase zero, mas por outro lado você pode receber dicas quentes do amigo de um amigo. Exibir sua profissão nas redes sociais também ajuda na credibilidade na hora de disparar mensagens procurando personagens ou depoimentos.

3. Uma imagem vale mais do que mil palavras

Aprenda a usar as configurações de privacidade para que suas fotos em festas e churrascos apareçam apenas para os amigos mais próximos. Da mesma forma, invista numa foto de perfil bacana: será a primeira coisa que seus futuros entrevistados vão ver.

4. Seja seu próprio editor

Pense, respire e releia tudo antes de postar. Se você apura tudo o que envia ao seu editor não pode ser diferente com o que você compartilha nas redes sociais. Aquela notícia absurda é confiável? O número é plausível? O que você escreveu tem erros de português? Tudo o que você posta contribui para sua imagem. Se seus posts são desleixados, você é desleixado e o contrário também é verdadeiro.

5. Blinde-se politicamente

Todo jornalista é uma pessoa politicamente exposta. É inegável que leitores, partidos e (principalmente) militantes estão de olho no que os repórteres publicam em suas páginas de modo a intuir, adivinhar, carimbar ou manchar a reputação ou linha editorial das publicações. Todo cuidado é pouco, especialmente com declarações de voto ou no que se pareça remotamente com isso. Ainda mais em ano de eleição. Aqui vale uma das máximas do Jornalismo: “na dúvida, não publique”.

6. Habilite o Graph Search

Já falamos aqui do Graph Search do Facebook, mas não custa repetir a dica. Não existe hoje, nem de longe, um buscador melhor de fontes, contatos e (principalmente) personagens. Já foi usado para buscar uma estudante venezuelana morando em Belo Horizonte, brasileiros residentes no Japão durante o desastre de Fukushima e repórteres de certo grande jornal que trabalham na sucursal de Brasília. O Graph Search pode ser a chave do seu próximo furo, sua próxima reportagem de capa ou seu próximo emprego.

E então, que achou deste texto? Como você usa as redes sociais no seu trabalho jornalístico?

Responda nos comentários e ajude-nos a propagar o conhecimento.

Recomendadas


Top