1
Assessoria de Imprensa

Modelo para construir um release no padrão de uma notícia jornalística

 

Neste post, destacamos a importância do conteúdo informativo adaptado à Internet

Release é, sem dúvidas e questionamentos, um dos principais produtos na rotina profissional das assessorias de imprensa. Assim como o texto também é para um jornal – revista – site, o vídeo para a TV e web, e assim por diante.

Como as mudanças na área de comunicação são constantes, e a tecnologia que traz avanços ao meio também, produzir um texto de qualidade, que atraia a atenção do leitor e do veículo de comunicação, passou a ser um desafio para quem escreve à imprensa.

A enorme quantidade de releases que chegam aos e-mails dos jornalistas se misturam às mensagens de e-mail marketing, corporativas e pessoais. É muita informação para o jornalista atender e, no final, seu conteúdo pode ter direção certa ao lixo eletrônico se ele não chamar atenção, primeiramente, com um título potencial.

Pensando nesta dificuldade, vamos listar algumas dicas para cada uma das etapas no processo de construção de um texto para imprensa. O objetivo não é garantir que seguindo estes passos você consiga publicar uma matéria, até porque para que isso aconteça, outros pontos são extremamente importantes. Produzir um bom texto seguindo o modelo abaixo é um grande passo e essencial para o reconhecimento do seu cliente e da sua assessoria.

 

Título: podemos considerá-lo como o mais importante no conjunto da obra. Ninguém inicia a leitura de um conteúdo pela metade. Partimos do início, que neste caso é o título. Então, aí está sua importância: ele é o ponto de partida para qualquer leitor. Se o título não tiver a devida qualidade e formato jornalístico, será difícil evitar que seu conteúdo seja direcionado à lixeira do e-mail pelo destinatário.

Títulos jornalísticos precisam ser objetivos e não podem iniciar com artigos (a, o, as, os) e numerais. Utilização de pontuação gráfica deve ser evitada; no caso do ponto final, é absolutamente proibido, seguindo o padrão de texto jornalístico.

Não utilize caixa alta em textos, exceto para siglas, como por exemplo, SP. Evite também letra maiúscula para termos que não são substantivos próprios.

Veículos de comunicação estão cada vez mais exigentes em relação à qualidade do texto enviado por assessores. Cada um deles seguem à risca o manual de redação próprio e linha editorial. Então, evite inserir nome de empresa, instituição, marca, produto. Opte pelo segmento da empresa. A expectativa do jornalista é receber um texto informativo – jornalístico e não um conteúdo institucional. Exemplo: Startup de comunicação digital representa o Brasil em evento na Espanha

Note que não foi preciso inserir o nome da empresa (optamos pelo segmento), não há caixa alta, letra maiúscula em substantivo comum e ponto final no título.

Linha fina: este campo serve para complementar as informações do seu título, portanto, não se deve repetir o que foi inserido na chamada. Mas atenção: ainda existem textos em que o resumo traz endereço, data, etc., como é o caso de notícias de eventos, por exemplo. Este tipo de informação deve ser colocada como um “serviço” ao final do texto. Exemplo: Com serviço de divulgação de notícias online, DINO participa do evento promovido pelo jornal espanhol El País

Introdução/primeiro parágrafo (Lead e Sublead)

O primeiro parágrafo de um texto deve ser uma introdução ao assunto. No caso de uma notícia jornalística, é preciso utilizar um recurso muito famoso e importante em textos desse gênero: o Lead.

O lead é um recurso que leva à introdução do seu texto as principais informações que serão apresentadas e argumentadas respondendo às seguintes questões que compõem a estrutura deste recurso: Quem?, Quando?, Onde?, Como? e Por quê?

Exemplo: No dia 23 de junho, a startup DINO esteve presente no evento El País Retina, em Madri, para apresentar as soluções sobre o divulgador de notícias online às assessorias de imprensa que exploram novos recursos para publicação de conteúdo à imprensa. Repare que todas as questões acima foram respondidas em único parágrafo, para situar o leitor e direcionar sua leitura.

Sublead: ainda como parte da introdução do texto, o sublead, que vai ocupar um ou dois parágrafos, é o recurso para complementar as informações do lead. Por exemplo: Promovido pelo jornal espanhol El País, o evento teve como principal objetivo apresentar inovações tecnológicas reunindo profissionais de diferentes partes do mundo, promovendo a troca de experiências e novas parcerias de negócios. O DINO, único representante brasileiro no evento, apresentou uma das soluções que inovam o serviço de comunicação à imprensa: a ferramenta de divulgação de notícias online.

Pronto! com uma introdução explorando os recursos de lead e sublead, resta ao leitor saber mais sobre este serviço do DINO, as outras empresas participantes do evento, aspas dos diretores e especialistas e o principal: o porquê do evento e da participação do DINO, que você vai explicar no desenvolvimento e argumentando nos próximos parágrafos.

Desenvolvimento e argumentação: apresentadas as principais informações, você deverá desenvolver o conteúdo levando ao texto argumentos (pesquisas, teses, citações, fontes, dados) que explique o foco central do assunto.Sem estas informações no texto, ele terá mais o perfil de um conteúdo opinativo.

Conclusão: todo texto parte de um ponto para chegar a outro. Então, deve ter uma conclusão sobre as hipóteses levantadas.

Fotografia: pode não parecer, mas a foto é um elemento muito importante que complementa o conteúdo textual. Poucos dão valor a seleção da imagem e acabam inserindo ao texto qualquer uma, mas a imagem ideal tem que ter relação com o texto. Evite fotografias posadas quando o foco do texto é outro.

Estas dicas são para transformar o release, que é um produto indispensável na rotina das assessorias de imprensa, em textos cada vez mais próximos ao modelo de conteúdo informativo – jornalístico. Facilita o trabalho do jornalista de imprensa na leitura e montagem do texto que possivelmente será publicado.

É sempre bom lembrar que as redações estão cada vez mais enxutas e com pouco tempo para estruturar textos institucionais. Quem leva ao jornalista um material mais próximo daquilo que ele precisa, certamente terá mais chance. O serviço dos veículos de comunicação estão mudando e tomando novos rumos, e as assessorias de imprensa precisam acompanhar estas mudanças.

banner-demo-fimdepost

Recomendadas


Top