2
Assessoria de Imprensa Jornalismo

Estrutura de uma notícia: começo, meio e fim

Elaboramos aqui um “template” para explicar cada elemento que compõe o texto jornalístico informativo que tem como principal objetivo relatar fatos

Entre os muitos estilos textuais, há aquele cujo compromisso com a informação se manifesta por meio do relato de fatos que acontecem na sociedade. Sem caráter literário, a notícia se tornou um dos principais conteúdos produzidos por jornalistas mundo afora. Além de retratar textualmente um acontecimento, ela também adota a narrativa técnica que exige atenção e o máximo possível de imparcialidade para que fique a cargo dos leitores interpretarem um ocorrido como, objetivamente, ele se deu.

O texto noticioso ganhou maior evidência quando as redações estadunidenses adotaram ao estilo “hard news” de produção de conteúdo e, para suprir a demanda constante, criaram o “lide” – uma sequência de perguntas que devem ser respondidas logo no primeiro parágrafo da notícia. Há relatos, porém, de que esta técnica surgiu no século XIX, no contexto de guerra, onde jornalistas “condensavam” seus relatos sobre as batalhas para que fossem enviados rapidamente aos militares e estes pudessem captar apenas a essência do que era informado. Já no âmbito dos veículos de comunicação contemporâneos, a intenção é proporcionar uma leitura pontual que permita ao público identificar do que se trata o assunto logo no início da matéria.

Outro elemento que deve ser citado é o conceito de “pirâmide invertida”. Trata-se de como é estruturada a notícia. Neste caso, o relato não é feito de forma cronológica – ou seja, seguindo uma linha temporal que vai desde o início até o final do ocorrido -, mas sim, evidenciando o desfecho do fato logo de começo. Em outras palavras: traz a “base” do fato (aquela que contém as informações mais relevantes) para o topo e o “topo” (informações menos relevantes ligadas ao fato noticiado) para a base.

Para melhor compreender a estrutura da notícia e suas características, criaremos um “template” com detalhes sobre este tipo de texto jornalístico e como determinadas temáticas devem podem ser abordadas.

Título/Manchete

Item indispensável, cuja principal função é dar destaque para o elemento principal da notícia. Ou seja: aquilo que, de fato, deve ser relatado. Títulos de notícias são objetivos, devem levar ao menos um verbo (para apresentar alguma ação) e evitar qualquer tipo de pontuação ou adjetivo que comprometa a imparcialidade e formalidade da chamada – por exemplo, pontos de exclamação e palavras como “incrível”, “imperdível”, “ótimo”, “maravilhoso”, etc.

Os títulos ou manchetes não precisam, ou melhor, não devem ser muito longos. Isso porque seu intuito é chamar a atenção para o fato e gerar interesse. Todas as informações adicionais serão colocadas no elemento seguinte que citaremos aqui. Em suma, ao pensar no título para sua notícia, pense também na palavra “sintetizar”.

Exemplos:

Tema principal: evento de teatro no Galpão Cultural Humbalada cuja temática será as poesias da escritora Carolina Maria de Jesus

Fato mais importante: peça com poesias de Carolina de Jesus

Manchete 1: Carolina de Jesus no teatro periférico
Manchete 2: Grajaú recebe Carolina de Jesus

Título 1: Poesias de Carolina de Jesus são tema de peça no Grajaú
Título 2: Galpão Humbalada recebe grupo de teatro com poesias de Carolina de Jesus
Título 3: Teatro homenageia Carolina de Jesus com peça no Galpão Cultural Humbalada

Linha Fina/Título Complementar

A linha fina – ou título complementar – tem como função trazer mais informação a respeito do fato noticiado. Evidentemente que estas informações devem agregar mais sentido ao título, ampliando seu campo de significado. Seria, a grosso modo, um resumo do que o leitor irá conferir – e também o espaço para destacar outros pontos importantes do assunto em questão.

Exemplos:

Tema principal: evento de teatro no Galpão Cultural Humbalada cuja temática será as poesias da escritora Carolina Maria de Jesus

Título: Poesias de Carolina de Jesus são tema de peça no Grajaú

Linha Fina: Realizada pela Cia. de Teatro Dandaras, a apresentação reúne textos como “Quarto de Despejo”, “A Rosa” e “Humanidade”

Lide/Primeiro Parágrafo

Esta é a etapa em que o conceito de pirâmide invertida é aplicado na realidade. O lide (em inglês, “lead”) tem como principal função agrupar as informações mais relevantes logo no início da notícia. Isso ocorre por meio meio das respostas às seguintes perguntas: Quem? O quê? Quando? Onde? Como? Por quê? Obviamente, a ordem pode ser alterada de acordo com o que se deseja enfatizar, porém, a estrutura técnica pede para que tais questões sejam respondidas de modo objetivo.

Há também quem leve em consideração o “tópico frasal”, essencial para narrativas. Trata-se de uma oração que define a ideia central do parágrafo. Escrita de modo afirmativo essa frase serve de “guia” para que tanto o redator quanto o leitor não percam a linha de raciocínio proposta no parágrafo.

O tópico frasal pode existir em todo o restante do texto, tornando a estrutura mais consistente e coerente.

Exemplo:

Título: Poesias de Carolina de Jesus são tema de peça no Grajaú

Linha Fina: Realizada pela Cia. de Teatro Dandaras, a apresentação reúne textos como “Quarto de Despejo”, “A Rosa” e “Humanidade”

Lide e Tópico Frasal: Carolina Maria de Jesus é uma das principais representantes da literatura periférica brasileira (tópico frasal + Quem?).  A capacidade de retratar o cotidiano na favela e expressar suas visões de mundo por diferentes perspectivas resultou no trabalho da Cia de Teatro Dandaras (O quê?) que pode ser conferido durante todo o mês de março (Quando?)  no Galpão Cultural Humbalada – Grajaú (Onde?). Poesias da escritora ganham vida na interpretação do grupo (Como?) que aborda desde textos como “Quarto de Despejo” até “A Rosa” em homenagem ao Mês das Mulheres.(Por quê?).

Corpo da Notícia

Nesta parte do processo, o texto começa a ganhar “corpo”. Os parágrafos seguintes devem ser preenchidos com todos os dados, citações e todas as informações que ajudem a relatar precisamente o fato que está apresentado. O “corpo” da notícia deve possuir algumas características típicas do estilo jornalístico que ajudam a deixar o material dentro dos padrões adotados pelos principais veículos de comunicação. Aqui estão elas:

  • Linguagem: deve ser coloquial para conseguir dialogar com o maior número de pessoas possível. Isso não significa que as normas gramaticais possam ser desrespeitadas. Trata-se de usar vocabulário popular, cotidiano e inteligível, evitando – ou adaptando – termos técnicos demais;
  • O redator deve “traduzir” o fato de modo objetivo e o mais imparcial possível. Evidentemente, é impossível alcançar 100% de isenção no texto, afinal, a própria construção do texto e o que será destacado depende, sim, das escolhas de quem escreve. Mas o alerta é pontual: opinião é o leitor que forma a partir do que você, jornalista, informa;
  • A narrativa do texto deve ser feita em terceira pessoa, ou seja, o redator se “afasta” do fato e relata o que pôde observar, não se colocando como narrador participante. Por quê? Porque, como dito anteriormente, seu papel é informar o leitor por meio de relatos, sem expressar sua opinião a respeito – isso se tratando de notícias. Outros formatos, contudo, permitem que a parcialidade se manifeste (Ex: colunas);
  • Tempo verbal do texto: de preferência, presente. Isso faz com que o relato se mostre mais preciso e recente. Entretanto, em casos de notícias pós-eventos ou resgate de assuntos abordados anteriormente, o tempo verbal deve ser coerente ao contexto, podendo se referir ao passado;
  •  Dados de pesquisa são fundamentais para embasar o que está sendo apontado e dar credibilidade à notícia. Seja no segundo ou terceiro parágrafo, estes elementos devem ter conexão com o tema abordado e, obviamente, os devidos créditos. Há muitas pesquisas divulgadas na web, então, basta procurar bem e alimentar ainda mais a notícia com informações relevantes;
  • Fotos também são bem-vindas, desde que sigam o mesmo caminho dos dados de pesquisa. Devem ter conexão com o tema abordado e créditos remetidos ao fotógrafo.

Por fim, o último parágrafo deve encerrar de preferência com alguma informação adicional ou indicação de leitura complementar que possa ajudar a obter mais dados sobre o assunto. Indicar outras matérias, fontes ou textos relacionados com a pauta ajudam a dar mais credibilidade à notícia. O importante é chegar até este último trecho com a certeza de que a coerência foi mantida ao longo dos parágrafos. A notícia não precisa necessariamente responder a uma questão sobre o fato relato. Mas ela precisa sempre informar a respeito dele para que os leitores sejam capazes de buscar suas próprias respostas – e opiniões.

Esta análise estrutural de uma notícia pode servir de “espinha dorsal” para quem precisa de bases no momento de escrever seu texto. Ainda assim, são vastas as possibilidades de conteúdos que podem se tornar notícia – basta citar o exemplo do DINO e as publicações de seus  usuários.

A pergunta que deixamos aqui é: o que você vai noticiar hoje?

banner-demo-fimdepost

Recomendadas


Top