Geral

Escassez de informação pode ser um erro fatal para o seu release

Mais do que simplesmente e encher o texto de dados, é preciso construir uma estrutura coerente e garantir a apuração dos fatos expostos

“Quem? Quando? Onde? Como? Por quê?” são as perguntas básicas que devem ser respondidas no que, jornalisticamente falando, é conhecido como “lead”. Essa “fórmula”, desenvolvida pelas redações estadunidenses, tinha como intuito deixar os textos, logo de início, informativos e dinâmicos – o que economizava tempo sem abrir mão dos dados mais relevantes sobre a notícia. Além de matérias e reportagens, há outros tipos de comunicados como, por exemplo, os releases enviados à imprensa, que devem evitar a escassez de informações.

A partir da pesquisa – elemento básico para qualquer texto informativo – é possível definir quais serão os termos e dados utilizados na publicação. Os assessores de imprensa têm como objetivo levar a marca, produto ou evento de seus clientes ao conhecimento da mídia e, para isso, necessitam criar um material que passe com exatidão a mensagem proposta. Abaixo, alguns pontos que devem ser considerados:

  • Antes de escrever, enumere os dados que já possui sobre o tema;
  • Em seguida, selecione apenas aqueles que melhor definem a mensagem a ser passada;
  • Apure quantas vezes for necessário – cheque a veracidade e exatidão do que será compartilhado, verifique as fontes de informação, busque outras referência e perspectivas a respeito do assunto, faça cruzamento de dados e, se for o caso, consulte especialistas;
  • Contextualize o tema. Situe o leitor no tempo e espaço, definindo locais, datas, horários, regiões, países e qualquer informação pertinente que deixa clara a mensagem do release. Tratando-se da divulgação de eventos, por exemplo, é muito importante lembrar sempre destes elementos;
  • Fornecer sempre os contatos do assessorado ou da assessoria. Telefones, e-mails, sites, blogs e outras ferramentas de comunicação devem ser incluídas no release para que dúvidas futuras possam ser esclarecidas.

A falta que a informação faz

O primeiro sintoma de um release “carente” de conteúdo surge quando o jornalista para o qual foi enviada a pauta retorna cheio de dúvidas. Ainda que o texto enviado pela assessoria seja uma sugestão de tema a ser trabalhado numa matéria, há de se agregar no material o máximo possível de informações relevantes. As consequências negativas pode ser muitas, entre elas:

  • desinteresse dos jornalistas pela pauta;
  • divulgação de informações deduzidas, logo, erradas;
  • matérias com pouco impacto;
  • textos que não demonstram propriedade sobre o assunto e se tornam obsoletos;
  • falta de engajamento com a pauta sugerida;
  • baixo número de palavras-chave que contribuem para um melhor trabalho de SEO. Quanto mais informações, mais termos que podem remeter ao assunto e facilitar a busca e ranqueamento nos sites de pesquisa;
  • Poucas chances de render entrevista com os assessorados, uma vez que a prévia da pauta não apresenta diferenciais ou ganchos interessantes.

Um bom release informativo 

Quando se trata de comunicados à imprensa – área que lida diretamente com informação – é preciso saber dois fatos primordiais: o que fazer e o que não fazer com seu release. Para isso, temos materiais específicos que vão ajudar neste assunto.

Atente-se:

1. E-book Grátis: Os 10 erros mais cometidos na criação de um release

2. Nove dicas para escrever um bom Press-Release

Mais posts


Top