Conheça algumas das palavras mais usadas por assessorias de imprensa - Blog | DINO - Divulgador de Notícias
Palavras mais Usadas em Assessorias de Imprensa DINO
Assessoria de Imprensa

Conheça algumas das palavras mais usadas por assessorias de imprensa

Como uma espécie de “glossário”, reunimos os principais termos e expressões que compõem o universo dos assessores no intuito de auxiliar quem está começando na área

Todo grupo, seja ele qual for, desenvolve uma linguagem própria – ou faz adaptações na língua vigente – com o intuito de imprimir na fala e escrita características específicas que resultem em identidade. Em outras palavras, há sempre aquele “glossário” com os principais termos usados frequentemente por indivíduos inseridos no mesmo contexto. No universo da comunicação não seria diferente – especialmente se tratando das assessorias de imprensa.

Boa parte das palavras também pode ser reconhecida no meio jornalístico e publicitário, contudo há sempre aquelas que servem exclusivamente para nomear alguma função ou aspecto único da profissão. “Boilerplate”, “Fact Sheet”, “Q&A” e “Press Kit” são alguns exemplos que estão diretamente ligados à rotina dos assessores. Conhecê-los é fundamental para se integrar à área e compreender os colegas de trabalho.

Abaixo, listamos palavras, expressões e definições básicas que podem auxiliar novos assessores ou até mesmo clientes interessados em compreender mais a linguagem adotada pelas assessorias brasileiras – que inclusive tem muito do vocabulário inglês inserido no seu glossário.

A

Alcance: extensão da área geográfica que uma mídia (rádio, jornal, televisão, internet) consegue atingir em determinada região. O alcance diz respeito à abrangência midiática.

Artigo: gênero textual cuja principal função é exprimir a análise, interpretação de opinião de um especialista sobre determinado assunto, sendo direcionado à revistas e jornais como sugestão de publicação. O artigo requer pesquisa e apresenta um caráter explicativo – assim como os artigos acadêmicos ou científicos.

Assessoria de Comunicação: serviço cuja principal função é estabelecer a comunicação entre cliente e público -alvo, ou seja, empresa e seus consumidores. Estratégias são formuladas tendo como base atividades de relações públicas e também de jornalismo.

Assessoria de Imprensa: seu trabalho é divulgar os serviços de uma empresa, órgão público ou pessoa física nos veículos de comunicação. O objetivo é dar visibilidade para o tema trabalhado e garantir sempre o maior alcance do release ou ação produzidos.

B

Boilerplate: encontra-se no final dos releases e, basicamente, apresenta um resumo sobre a história da empresa/pessoa física e o serviço que presta. O “boiler” também funciona como suporte para os jornalistas que irão receber o comunidade, permitindo que os mesmos tenham acesso a uma “sinopse” do assessorado.

Briefing: apresenta uma prévia da situação em que se encontra a empresa/pessoa física e serve de ponto de partida para estruturar a estratégia de comunicação. O briefing mapeia, já de início, os principais problemas enfrentados pelo cliente e pode ser entregue no formato de texto (perguntas e respostas) ou exposto durante reuniões.

C

Centimetragem: métrica que permite mensurar os resultados obtidos com a divulgação, entre eles gasto com publicidade, quantidade de leitores que tiveram acesso à informação e o espaço ocupado pela publicação. Este método de avaliação baseia-se no volume de cobertura que mede, em centímetros, o tamanho das matérias divulgadas.

Clipadora: empresa especializada em coletar as informações do cliente que foram divulgadas na mídia – jornais, revistas, TV etc.

Clipping: serviço que coleta todas as publicações feitas a respeito do cliente e as apresenta com resultado da ação de assessoria. Geralmente, trata-se de um recorte de jornal/revista ou “print” da sites que divulgaram a matéria.

Coletiva de Imprensa: evento organizado por uma assessoria que tem por objetivo convidar jornalistas para que entrevistem (por meio de um número delimitado de perguntas) o cliente ou seus representantes. Este tipo de encontro é uma forma mais efetiva de fazer com que as informações divulgadas atinjam diferentes veículos ao mesmo tempo. Também pode ser organizada para fazer algum comunicado.

Comunicado Oficial: texto produzido no intuito de refletir o posicionamento de uma empresa/pessoa física assessorada em relação a determinado assunto. Geralmente emitido durante situações de crise.

Comunicação Integrada: define-se pela ação conjunta de diferentes ferramentas de comunicação dentro de uma estratégia que visa agregar valor à empresa e sua marca, assim como apresentá-la de forma positiva ao público-alvo. Basicamente, as áreas de relações públicas (comunicação interna), jornalismo (house organs) e publicidade (marketing) trabalham de forma conjunta em prol da empresa.

Coluna: espaço reservado em veículos de comunicação para textos de caráter opinativo que abordem diversos temas. A publicação de tais conteúdos – escritos por especialistas –  é frequente (pode variar de diariamente para semanalmente).

Crédito: indicação de quem produziu fotografias ou ilustrações que evita plágios e casos de desrespeito à lei de direitos autorais. Geralmente, a assinatura é colocada nas bordas da imagem.

Cronograma: planejamento que determina datas específicas para cada ação definida dentro de um plano de comunicação. Deve ser seguido à risca para evitar problemas no cumprimento de prazos e entrega de resultados dentro do que foi acordado com o o cliente.

D

Deadline: prazo determinado para a entrega de algum trabalho ou aplicação das atividades descriminadas no cronograma. O deadline é um termo muito comum,por exemplo, em redações jornalísticas e refere-se diretamente à publicação de matérias.

E

Editorial: texto que exprime a opinião do veículo de comunicação sobre determinado assunto ou entidade.

Exclusiva: pauta ou matéria sugerida para um jornalista/veículo com exclusividade.

F

Fact Sheet: material conteúdo apresenta, de forma resumida, as principais características da empresa assessorada. Entre elas estão: números gerais, resultados anuais e faturamento.

Follow-Up: acompanhamento das sugestões de pauta enviadas a jornalistas. O assessor, após distribuir seu conteúdo entre os contatos listados no mailing, contata as redações no intuito de oferecer mais informações sobre o material disponibilizado e saber se, de fato, ele chegou ao destino pretendido. Esse acompanhamento pode ser feito via telefone ou e-mail.

Furo: matéria jornalística que foi descoberta e publicada por um jornalista antes de qualquer outro veículo. Assessores também trabalham com “furos”, descobrindo pautas de grande relevância com antecedência e direcionando-as como exclusivas para portais específicos.

G

Gancho: correlação entre assuntos que pode gerar matérias relevantes. O gancho é uma espécie de “link” para a ampliação e melhor desenvolvimento do conteúdo trabalhado.

Gerenciamento de Crise: estratégia criada para contornar problemas internos que afetam a imagem do assessorado na mídia. Esse gerenciamento também conta com ações de comunicação integrada.

H

House Organ: veículo de comunicação interno das empresas cujo foco é ressaltar seus serviços , ações e temas ligados ao contexto de atuação.

I

Institucional: comunicado baseado na história e características de uma instituição que visa construir uma imagem positiva da mesma, ressaltando suas qualidades.

K

Key Message: definida pela assessoria junto do cliente, trata-se de uma mensagem que deve ser absorvida e fixada pela mídia ou público-alvo como uma espécie de “palavra-chave” que remeta à empresa/pessoa física em questão. Atua como um dos elementos essenciais para a construção da imagem do assessorado.

M

Mailing: lista de contatos jornalísticos (repórteres, editores, chefes de redação, entre outros) que contém informações como nome, veículo em que trabalha, editoria, telefone, e-mail, tipo de mídia etc.

Media Relations: prática tida como fundamental para trabalhos de assessoria, uma vez que se baseia na relação com profissionais de comunicação no intuito de estabelecer parcerias produtivas. Abre espaço para que o assessor lide com formadores de opinião e amplie seu mailing.

Media Training: treinamento que o assessor passa para seu cliente no intuito de prepará-lo para coletivas de imprensa e qualquer outro tipo de entrevista que venha a ser agendada. Esta prática, mais aplicada aos porta-vozes das empresas, faz-se fundamental para evitar equívocos durante a fala que possam resultar em crises e danos à imagem do assessorado, assim como permite um aperfeiçoamento na capacidade de lidar com a mídia.

Meet and Greet: encontro entre assessorado, assessor e jornalista com caráter de reunião cujo objetivo é discutir possíveis pautas e entrevistas. O meet and greet também pode ser o encontro de artistas com seus fãs – mediados pela assessoria de imprensa. Em ambos os casos, trata-se de um evento de curta duração.

Mídia espontânea: refere-se às pautas que, inesperadamente, ganham mais repercussão do que  o esperado pela assessoria e, consequentemente, resultam num número grande de publicações a respeito. Também se trata da solicitação dos jornalistas por fontes e entrevistas fornecidas pelos assessores. Este tipo de acontecimento amplia ainda mais o alcance da pauta, atingindo camadas para além do público-alvo – o que é consideravelmente positivo.

Mídia Provocadaresultante do trabalho de assessoria de imprensa, define-se pela publicação de conteúdo após planejamento, divulgação, follow-up e todos os recursos comunicacionais realizados pelo assessor em prol da visibilidade de seu cliente na mídia.

O
Off-the-record (Off): informação passada em sigilo – e com exclusividade – para jornalistas. Ela não pode ser divulgada até que o assessor e o cliente deem o aval. 

P

Planejamento e Plano de Comunicação: estratégias elaboradas para agir interna e externamente baseando-se nas necessidades e metas do assessorado. Todos os canais de comunicação passam a ser explorados ao máximo no intuito de atingir seu melhor desempenho e resultar num avanço considerável da marca na mídia e perante seu público-alvo – o que também contribui para sua organização e bom funcionamento institucional.

Press Kit: pacote montado e encaminhado à imprensa contendo brindes, produtos, informativos e outros itens que representem a empresa e despertem interesse pelo trabalho da mesma.

Press Release: comunicado redigido pela assessoria de imprensa cujo conteúdo está ligado à empresa, pessoa física ou órgão público e seus serviços, produtos, trabalhos artísticos e eventos organizados. Também serve como sugestão de pauta para jornalistas de diferentes plataformas.

Power Release: texto produzido para ser divulgado apenas em plataformas online e conta com elementos como imagens em alta qualidade, vídeos, áudios e arquivos anexados. São elaborados em distribuidores de notícia online e disparados de maneira estratégica para veículos de comunicação separados por segmentos.

Q

Q&A: questionário – muitas vezes sigiloso –  elabora junto da assessoria no qual o porta-voz fornece informações sobre a empresa no intuito de criar respostas padronizadas para futuras entrevistas. É uma forma de alinhar o discurso sobre o produto ou serviço prestado com o objetivo de melhorar a apresentação na mídia e evitar depoimentos que não condizem com a proposta da instituição. O Q&A serve como preparatório para coletivas de imprensa, por exemplo.

T

Talking Point: são os principais tópicos de discussão a serem  pontuados a respeito de um determinado tema. Os assessores, depois de conhecerem o produto/serviço de seus clientes, selecionam os elementos mais relevantes e, baseado neles, promovem um debate sobre sua relevância para então dar início ao desenvolvimento do plano de comunicação.

Fontes: 
Race Comunicação

Mais posts