Técnicas de Redação

Como redigir títulos que captem a atenção?

O título é a parte mais importante de um texto online. Ao produzir um conteúdo para ser publicado em seu blog ou distribuído por meio de newswire ou assessoria de imprensa, invista energia e tempo na elaboração do título.

Estudos de comportamento do leitor indicam que as pessoas são apressadas em tomar uma decisão quando estão em frente ao computador. Por exemplo, um leitor comum leva, em média, cinco segundos para ler um título e decidir se quer clicar nele para ler o texto completo ou não. Caso ele opte por clicar, uma nova jornada terá início. Segundo o livro Convertion Code, o leitor levará mais 8 segundos para decidir se avança no relacionamento com a sua empresa clicando num botão, banner ou outro link no corpo do texto.

O título é, portanto, a porta de entrada do seu conteúdo por ser o elemento mais visível de todos. Ele aparece não apenas na lista de matérias ou posts publicados num site, mas também nos resultados de buscas orgânicas do Google. Em todos os casos, o dado é o mesmo: o leitor vai decidir se clica nele ou não em apenas cinco segundos.

Compilamos a seguir uma lista de seis boas práticas na produção de títulos.

1. Conte o fim do filme

Um bom título antecipa a informação mais importante que o texto traz. É o que, no jargão jornalístico, recebe o apelido de “gancho” da matéria. Veja o exemplo deste destaque na capa do Portal Terra.

A simples leitura do título já antecipa a ideia de que trufas podem ser caríssimas no exterior, mas um novo restaurante de São Paulo conseguiu viabilizá-las por um preço acessível.

Fazendo uma analogia com a literatura, se um livro de suspense fosse transformado num texto de internet, o título teria de ser “O mordomo é o assassino”.

2. Certifique-se de que o título tem verbo

Esta é uma regra: títulos de caráter jornalístico possuem verbos. Como toda regra, há exceções. Mas pense na regra, e não na exceção. Num portal de notícias, a quase totalidade dos títulos contém um verbo.

Perceba que, no exemplo acima, um print do G1, os verbos aparecem mais no presente (“expulsa” e “morre”) do que no passado (“fizeram”). Normalmente, os verbos no presente transmitem uma sensação de urgência ou de que o fato é recente e continua sendo um tema atual. Por isso, usa-se “morre” em vez de “morreu”. O verbo no passado é utilizado para se referir a acontecimentos antigos e já conhecidos.

3. Priorize as palavras-chave

Você muitas vezes terá uma dúvida com relação ao melhor termo a ser usado entre duas opções sem muita diferença semântica entre si.

Por exemplo, imagine que um redator de uma empresa especializada em Direito tenha dúvida entre usar “exame da OAB” ou “prova da OAB”. Ambas as opções são adequadas. No entanto, uma consulta ao Google Trends esclarecerá que a opção “prova da OAB” deve ser usada porque é mais buscada do que a outra.

 

 

4. Se possível, use números

Não se trata de uma regra, mas de uma dica. Números chamam a atenção. Denotam precisão da informação ou, em caso de lista, transmitem a sensação de leitura fácil. É o caso, por exemplo, deste destaque na home da Exame:

Um estudo do site especializado em SEO Conductor enumera as preferências dos leitores com relação a títulos. Perceba que a presença de números (36%) aparece em primeiro lugar na preferência das pessoas. Em seguida, vêm solução de problemas (21%), como fazer (17%), título normal (15%) e pergunta (11%).

5. Antecipe uma explicação

Títulos que deixam claro existir uma explicação no texto ganham caráter educativo. Por isso, são úteis para o leitor. O UOL, por exemplo, publicou em março de 2018 uma matéria com o seguinte título: “Por que este é o BBB do recorde de rejeição?”. Ainda que você não seja espectador do Big Brother Brasil, a explicação parece oportuna.

Outra forma é usar a pergunta para apontar um problema e propor a solução, como fez o TechTudo com o título “Chrome atualiza página sozinho? Veja como impedir.”.

A explicação pode ser direcionada para uma pergunta que seu público costuma fazer. No período de declaração do Imposto de Renda, por exemplo, a Exame publicou um post com o seguinte título: “Eu consigo fazer uma doação de bens sem precisar de advogado?”. Certamente, muita gente já fez essa pergunta ao Google, que premia com um bom ranqueamento quem fornece respostas confiáveis.

6. Crie um senso de urgência

Uma forma de estimular o clique é empregar um caráter de urgência ao título, de modo que o leitor sinta que precisa acessar aquela informação, pois ela provocará um impacto de alguma maneira. Foi o que fez o UOL, por exemplo, nesta matéria.

É quase como dizer: “se você não assistir a esta série, você nunca saberá como realmente funciona um aeroporto”.

Aula Online

O mesmo conteúdo desse post está disponível em formato de vídeo:

 

 

Fontes consultadas

Mais posts